Sábado, 7 de Março de 2009

Música de Moçambique

Primeiro fechar o Player do blog na Playlist do lado direito (Barra lateral)

Depois clicar para ouvir esta música.

 

 

Bom Fim de semana para todos

publicado por mokala às 02:22
link do post | comentar | favorito

"Esse lugar existe...

 

 

"Esse lugar existe, mas sofre de lonjura muito comprida." Mia Couto

 

 

 

 

 

 


publicado por mokala às 01:35
link do post | comentar | favorito

Primeira visita ao mar

 

A primeira visita ao mar da Praia das Chocas.

 

Os meus olhos encheram-se de água

Eles queriam chorar, chorar muito...

Mas não deixei.

Precisava era de ver este mar, sentir o seu barulho e cheiro.

Todos os dias da minha vida.

Te saúdo Mar e te respeito pela tua grandeza e pelo teu azul sem igual.

 

 

Hoje os meus olhos quiseram chorar...

 


publicado por mokala às 00:49
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Bendito seja o mesmo sol de outras terras

"Bendito seja o mesmo sol de outras terras
Blessed be the same sun of others lands


Que faz meus irmãos todos os homens
Wich makes of all men brothers of mine


Porque todos os homens, um momento no dia, o olham como eu, ..."
Because all men, as I do, a moment in day, look at it,..."

 

(Fernando Pessoa, como "Alberto Caeiro", in "O Guardador de Rebanhos")

 


publicado por mokala às 23:51
link do post | comentar | favorito

Por do Sol em Moçambique

O por do Sol aqui tem um encanto especial.

Transmite-nos um não sei quê de nostálgico.

Na Praia das Chocas - Carrusca virada para a Cabaceira onde o Sol se põe desta maneira e eu não me cansei de olhar, num olhar longíquo e calmo.

 

O Por do Sol

 

A luz ténue de um crepúsculo
Ilumina a curvatura suave do chão
Desenhada por desejo de visão
De algo que se mostra, um todo maiúsculo.
Seria luz de ocaso sem razão
Se se desvanecesse à força de músculo
Mas não é, é apenas um acontecimento são
Que em todos os dias que passam
Se repete num circculo sem senão.
Restam as certezas que nos ficam
Em registo gravado na palma da mão
Como cábula escrita a fogo.
A luz fica mais ténue num jeito de rogo
Mas, no entanto, é firme e certa
Num jeito de até logo.

Valdevinoxis

 

sinto-me:

publicado por mokala às 23:30
link do post | comentar | favorito

O cajueiro

 

 

 

 

 

 

 

 

"Para muitos povos, culturas e religiões, a árvore foi no passado um símbolo místico, que representava a capacidade de renascer."

 

 

Perante este cajueiro que encontrei entre a Praia das Chocas e a Carrusca, senti essa mística, tal a grandiosidade da sua copa a arrastar pelo chão e a erguer-se de novo.

 


publicado por mokala às 00:22
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 4 de Março de 2009

Ser como a formiga

Ser como a formiga

 

Trabalhadora, lutadora, persitente.

 

 

 

Persistir é manter os nossos objetivos sempre na frente, mesmo nas maiores dificuldades.

.

Não é teimosia, não é arrogância, não é manter-se no caminho a qualquer custo. É simplesmente não desistir.

 

Quando traçamos objectivos na nossa vida, devemos lutar para que os consigamos atingir.

 

Quisera ser como a formiga e construir um palácio assim perto  do mar como este morro na Praia das Chocas

 


publicado por mokala às 23:30
link do post | comentar | favorito

Mas quem ama sempre volta... acredita no mar...

 

...Um viajante de longe foi quem me disse
da inútil lágrima no mar-oceano.
Ela nada resolve, nada acrescenta ao seu volume.
Mas quem ama sempre volta... acredita no mar...

 

"Um certo sertão" de Celso Brito

Por um poema de Soares Feitosa


Contra o mar e a seca, só o sonho.
Nenhuma reflexão cabe a esse fato.
Todas são aflições da alma.

Existe um abismo entre a lágrima e a sua ausência.
Por isso há os que choram,
os que esperam a beira do caminho
e os que cruzam horizontes em busca da brisa.

É inútil esperar pelo mar.
A terra seca sob os pés separa dois mundos.
E essa onda sempre volta,
sem nunca ultrapassar os limites da areia.

O oceano, que daqui um dia se foi, não volta mais.
Fugiu com os navios no caminho do vento,
levando os homens e o coração das mulheres.

Resta essa paciente espera,
mesmo quando não há mais o que esperar.
Sendo assim, não cabe a mim encerrar a história;
embora acredito que queira saber como isso termina.

Um viajante de longe foi quem me disse
da inútil lágrima no mar-oceano.
Ela nada resolve, nada acrescenta ao seu volume.
Mas quem ama sempre volta... acredita no mar.

 

 

Achei lindo!

 

sinto-me:

publicado por mokala às 19:12
link do post | comentar | favorito

Pausa para pensar

Olá a todos!(que são já alguns os visitantes deste lugar)

 

Resolvi fazer uma pequena pausa para pensar e transmitir o meu pensamento.

Primeiro, pensar na razão que me levou a criar este espaço.

Depois, reflectir sobre tudo o que se viveu nesta viagem.

Como já deram conta, esta foi uma viagem em grupo.Um grupo de 18 pessoas.

Um grupo de pessoas que já tinham vivido em Moçambique.

Uns viveram uma mesma época, outros não, mas todos  conheciam os mesmos lugares e coisas.

Cada um de nós tinha objectivos próprios e maneiras diferentes de ver e observar e até diferentes maneira de viver as emoções que ia surgindo de lugar para lugar.

 

Eu estava ávida de chegar aqui a este lugar:

Praia das Chocas - Mossuril - Cabaceira - Saua Saua - tudo lugares que me eram muito queridos.

Por isso estar a valorizar tanto a minha estadia aqui.

 

e vejam se eu tinha ou não, razão para estar assim

 

ao ver este Mar azul turquesa!

 

 


publicado por mokala às 18:05
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 3 de Março de 2009

Praia das Chocas

E eis-me a cominho da minha Praia.

O meu pensamento foi para muitos anos atrás quando comecei a frequentar esta Praia.Vivia eu em Saua Saua e frequentava a Escola Primária do Mossuril.

Lembrava-me também de todas as vezes que passei aqui fins de semana e férias.

 

 

Tinha já passado Matibane onde encontrei tudo muito destruido e iamos em direcção ao cruzamento do Mossuril para entrar na estrada que me levaria à Praia das Chocas.

Ao chegar à Chocas, agora denominada Chocas Mar registei a primeira foto.

 

 

Depois o Mar que me encheu o coração

 

 

e a casa onde sempre passava as minhas férias

 

 

Bonito isto!Muito bonito!

sinto-me:

publicado por mokala às 12:15
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Othawene timpuanhia apaje...

. O que tenho de mar

. Que Mar é este.

. Maria sem vergonha - A mi...

. Até amanhã

. Ó minha Ilha de Moçambiqu...

. Nacala

. Cheiro de mato

. Na terra vermelha da min...

. mar que eu encontro de en...

.arquivos

. Novembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds