Quinta-feira, 20 de Outubro de 2011

mar que eu encontro de encontro a mim

Praia das Chocas . Nampula - Moçambique

 

 

 

 

mar que eu encontro de encontro a mim

 


és o mar que encontro de encontro a mim...

corpo de mar selvagem que cheira a jasmim...

volúvel e solto como a alma em meu ser...

prisioneiro do meu viver...

mar de magia do canto da noite...

mar dos teus olhos, dos meus sonhos a fonte...

mar dos meus sonhos, quimera e cetim...

mar que eu encontro de encontro a mim

 

csantos
Luso Poemas

 

Praia das Chocas - Nampula - Moçambique


publicado por mokala às 22:41
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 11 de Outubro de 2011

Ainda o Mar...

de Paula Cañellas

 

 

"Hoje de manhã, atravessando o mar vou me perder, vou me encontrar; a cada vento que soprar"

Emicida

 

 

O mar

Quero sentir o grande mar, violento e puro.
Quero sentir o mar nocturno e enorme.
Quero sentir o silêncio, o áspero silêncio do mar!
Quero sentir o mar! Quero viver o mar!

Quero receber em mim o grande e escuro mar!
Não o mar-caminho, mas o mar-destino,
O mar fim de todas as coisas,
O mar, túmulo fechado para o tempo.


Quero o mar! O mar primitivo e antigo,
O mar virgem, despovoado de imagens e de lendas,
O mar sem náufragos e sem história.

Quero o mar, o mar purificado e eterno,
O mar das horas iniciais, o mar primeiro,
Espelho do Espírito de Deus, rude e terrível!



Augusto Frederico Schmidt, O Mar Na Poesia Da América Latina

sinto-me:

publicado por mokala às 00:46
link do post | comentar | favorito
|

Nampula

Foto de Paula Cañellas - Acácias em Nampula

NAMPULA

Quem se perturbaria se saltassem
chispas electro-mágicas dos dedos,
dos olhos, dos cabelos e abalassem
as casas confortáveis e os penedos?

E se as acácias rubras desvendassem
de repente os seus místicos segredos
de fogo e de verdura e os lançassem
como setas certeiras contra os medos?

Quem se perturbaria no momento
da verdade e do grito? Quem diria:
isto é um grito, não é um lamento?

Quem, com a verdade em punho, brandiria
o grito como quem comanda o vento,
ousando anunciar o novo dia?

 

Abdul Cadre

 


publicado por mokala às 00:31
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Othawene timpuanhia apaje...

. O que tenho de mar

. Que Mar é este.

. Maria sem vergonha - A mi...

. Até amanhã

. Ó minha Ilha de Moçambiqu...

. Nacala

. Cheiro de mato

. Na terra vermelha da min...

. mar que eu encontro de en...

.arquivos

. Novembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.as nossas fotos - Obrigada à Paulinha e à Dalila minhas companheiras de viagem que me autorizaram a usar aqui as fotos delas.BJKS

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds