Segunda-feira, 19 de Outubro de 2009

Doçura

Eram de longe.
Do mar traziam
o que é do mar: doçura
e ardor nos olhos fatigados

 

Eugénio de Andrade

 

Chegada do mar em Nacala

Lindo este momento!


publicado por mokala às 16:01
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Outubro de 2009

Não fora o mar, e eu seria feliz na minha rua...

 

Foto de PaulaCañellas - Praia das Chocas

 

 

Não Fora o Mar!

 

 

Não fora o mar,
e eu seria feliz na minha rua,
neste primeiro andar da minha casa
a ver, de dia, o sol, de noite a lua,
calada, quieta, sem um golpe de asa.

Não fora o mar,
e seriam contados os meus passos,
tantos para viver, para morrer,
tantos os movimentos dos meus braços,
pequena angústia, pequeno prazer.

Não fora o mar,
e os seus sonhos seriam sem violência
como irisadas bolas de sabão,
efémero cristal, branca aparência,
e o resto — pingos de água em minha mão.

Não fora o mar,
e este cruel desejo de aventura
seria vaga música ao sol pôr
nem sequer brasa viva, queimadura,
pouco mais que o perfume duma flor.

Não fora o mar
e o longo apelo, o canto da sereia,
apenas ilusão, miragem,
breve canção, passo breve na areia,
desejo balbuciante de viagem.

Não fora o mar
e, resignada, em vez de olhar os astros
tudo o que é alto, inacessível, fundo,
cimos, castelos, torres, nuvens, mastros,
iria de olhos baixos pelo mundo.

Não fora o mar
e o meu canto seria flor e mel,
asa de borboleta, rouxinol,
e não rude halali, garra cruel,
Águia Real que desafia o sol.

Não fora o mar
e este potro selvagem, sem arção,
crinas ao vento, com arreio,
meu altivo, indomável coração,

Não fora o mar
e comeria à mão,
não fora o mar
e aceitaria o freio.

Fernanda de Castro, in "Trinta e Nove Poemas"

 

Infelizmente na minha rua não tenho o Mar,

mas o sonho de o ver e de nele lançar a minha alma...

A imensidão da alma e do mar não se destinguirão


publicado por mokala às 12:22
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

A nau da vida

 

Para esta foto da Paulinha um lindo soneto que encontrei

 

"Um dia...eis senão quando...de repente...

a nau da vida aporta...

estamos velhos!"

 

A nau da vida

de Miguel Russowsky

 
 
Sou como nau a navegar no mundo,
parte insignificante  numa frota,
que de esperanças fáceis se abarrota
e.... inexoravelmente vai ao fundo.
 
E  onde o céu nem faz conta  da gaivota
e o  sonho azul já nasce moribundo,
cheios de anseios e de amor fecundo,
vos sois também  levados nesta rota.
 
 As ilusões se vão com remos  largos
 no mar dos anos céleres e amargos,
obedientes à voz dos evangelhos.
 
Um dia...eis senão quando... de repente
os sonhos são cadáveres somente
e a nau  da vida aporta...Estamos velhos!

publicado por mokala às 22:42
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 10 de Outubro de 2009

...

ape_with_laptop_md_wht.gif (22414 bytes)

Estou esperando um comentáriozinho, tá?

BFS


publicado por mokala às 09:27
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Outubro de 2009

...É urgente um barco no mar.

 Mais um poema lindíssimo para uma foto não menos linda na baía de Nacala em Novembro de 2008.

Está quase a fazer um ano que nossos olhos descansaram sobre estas águas e este horizonte...não sei se voltarei a ter esta sensação!

Mar límpido e azul durante o dia e de ouro à noite não se encontra em mais lado nenhum!!!! (eu acho)

 

 

 

 

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

de Eugénio de Andrade

 


publicado por mokala às 15:23
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 1 de Outubro de 2009

O hibisco

 

Hibiscus and water

 

Beautiful and brief
Is your blooming above
Our late summer leaf . . .

Sudden as descent of
White startled dove
Your wonder was sent . . .

At dawn you were not seen
Now you're splashed on marsh
Where only green has been . . .

Are you butterflies
Immobilized in flight
Drifting from our skies . . .

Frail as paper boat
Are you musical notes
Dropped on creek to float . . .

Are you pastel dreams
And is our colored marsh
Not the grass it seems . . .

Soon you're borne away
Reflected in streams
Of our Piscataway . . .

Beautiful and brief
Is your stay above
The late summer leaf . . .
- A. Ware

 

 

 

hibpnexc.mp3 Contemplem o Hibisco de Nacala, leiam o poema e...porque hoje é o Dia Mundial da Música oiçam este som e encontrarão uns minutinhos de Paz interior.(Fechar o Player do blogue sff)


publicado por mokala às 14:36
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Novembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Othawene timpuanhia apaje...

. O que tenho de mar

. Que Mar é este.

. Maria sem vergonha - A mi...

. Até amanhã

. Ó minha Ilha de Moçambiqu...

. Nacala

. Cheiro de mato

. Na terra vermelha da min...

. mar que eu encontro de en...

.arquivos

. Novembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.as nossas fotos - Obrigada à Paulinha e à Dalila minhas companheiras de viagem que me autorizaram a usar aqui as fotos delas.BJKS

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds